fbpx
Faça seu Pedido Online Esqueci meus dados
Close

1 de novembro de 2019

O que as normas técnicas dizem sobre coberturas e pisos de vidros?

A arquitetura mundial tem se rendido às coberturas e pisos de vidro. Aplicações que podem oferecer total segurança aos usuários.

Basta uma rápida consulta às obras arquitetônicas que mais têm chamado a atenção das pessoas pela Internet para descobrir que a maioria delas utiliza pisos ou coberturas de vidro. Diversos estudos e testes foram feitos por vários anos para se chegar às formulações que pudessem garantir, atualmente, transparência associada à segurança dos usuários.

Sabe-se hoje que, bem especificados, dimensionados e aplicados os vidros podem ser utilizados em qualquer tipo de aplicação em substituição a outros materiais da construção civil.

No Brasil as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas regulamentam a aplicação dos vidros na construção civil. Em alguns casos tais normas assumem peso de Lei, pois, em caso de acidentes, será investigado se a pessoa responsável pela execução do projeto seguiu as normas recomendadas para determinada aplicação.

No caso de pisos e coberturas de vidro, não existe norma técnica da ABNT que trate especificamente dessas aplicações. Porém, essas aplicações são citadas na norma NBR 7199 — Vidros na construção civil — Projeto, execução e aplicações.

Segundo a 7199, coberturas e pisos são classificados como instalações especiais, juntamente com degraus; visores de piscinas e aquários; estruturas; e guarda-corpos. Para todos esses casos essa norma determina a utilização de vidros laminados ou aramados. Isso inclui as suas variações, como os laminados de temperados e os insulados compostos por vidros laminados.

Porém, não basta aplicar os laminados de qualquer forma nos pisos e coberturas. A norma 7199 estabelece também as espessuras que devem ser utilizadas e a forma como o vidro será apoiado na estrutura metálica que o acompanhará na instalação.

Em pisos, quando a estrutura não estiver com a superfície totalmente apoiada, pode-se utilizar também laminado temperado. Além disso, os apoios das bordas devem ter uma vez e meia a espessura total do piso.

Na norma existe uma complexa metodologia de cálculo para a espessura dos vidros a serem utilizados em pisos ou coberturas. O caminho mais fácil, entretanto, é utilizar um software de cálculo de espessura que é disponibilizado a todos gratuitamente no site www.cebrace.com.br .

 

Leia Também: Piso de vidro, opção moderna para ambientes comerciais e residenciais

 

Sobre a A2 Vidros

Os vidros fornecidos pela A2 Vidros, incluindo vidros que podem ser aplicados em pisos e coberturas, comprovam o quanto o mercado vidreiro se preocupa em contratar fornecedoras de materiais de qualidade e devidamente certificados.

O Museu de Arte São Paulo (MASP) é um exemplo. Alguns dos trabalhos expostos nos cavaletes de vidro projetados por Lina Bo Bardi receberam vidros extraclaros produzidos pela A2 Vidros em parceria com a AGC. Os vidros de 10 mm lapidados nas bordas foram temperados na própria distribuidora.

Durante a feira Glass South America, o icônico capacete usado pelo piloto brasileiro Ayrton Senna no Grande Prêmio do Japão foi exposto em uma caixa de vidro produzida e montada pela A2 Vidros.

A 45ª edição do São Paulo Fashion Week também contou com a participação da A2 Vidros. A empresa forneceu o vidro e montou 34 vitrines da exposição POW! Explosão Criativa, que reuniu parte do acervo de arte plumária (que incluiu cocares, colares e brincos indígenas) integrante do Departamento dos Museus Municipais da Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo.

Para saber mais sobre a história, os produtos e serviços oferecidos pela A2 Vidros, preencha nosso formulário de contato ou entre em contato pelos telefones (11) 3682-2529 ou (19) 4042-5010.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar